Setor de Ciências Agrárias

Menu

Jubileu de Ouro da turma de Medicina Veterinária de 1967

Romualdo Gurak (foto arquivo UFPR)

Romualdo Gurak (foto arquivo UFPR)

A turma de Medicina Veterinária de 1967 da UFPR – Turma Professor Silvio Bove comemorou seu jubileu de ouro em dezembro de 2017 com uma cerimônia marcante. Na ocasião, o discurso do orador da turma emocionou os presentes. Atendendo a pedidos, publicamos aqui na íntegra a fala do médico veterinário Romualdo Gurak.

JUBILEU DE OURO DA TURMA DE MEDICINA VETERINÁRIA DE 1967 DA UFPR TURMA PROFESSOR SILVIO BOVE

DISCURSO DO ORADOR DA TURMA

“Bom dia a todos!

É com muita honra que estou aqui neste dia. Há 50 anos fui escolhido para falar em nome da nossa turma. Era uma época diferente. Éramos 40 jovens com muita energia e pretendíamos implementar mudanças, cientes das dificuldades que encontraríamos no caminho. E mudamos. Talvez não tanto quanto queríamos, mas fizemos a diferença. Especialmente nos mudamos. Crescemos. Evoluímos. Nesse meio século constituímos famílias e agora brindamos com elas.

E, hoje estou aqui novamente com imenso prazer de representar esta turma com quem tive o privilégio de estudar e me formar há 50 anos atrás. Uma satisfação enorme poder contar a todos do coleguismo e da amizade que nasceu nesta turma, tanto nos anos acadêmicos, quanto depois da formatura, promovendo encontros e reunindo-nos sempre que possível para recordar os tempos da faculdade e reforçar os nossos laços fraternos que nos unem até hoje.

Saudades daqueles 10 colegas que já se foram, mas que permanecem em nossos corações e daqueles 10 que por força maior, não puderam estar presentes neste ato e, o meu fraterno abraço aos que se encontram presentes.

Nesses 50 anos vimos nossa Universidade Federal do paraná, que foi uma das pioneiras no País, já comemorando seu centenário e desde o seu princípio, com excelência e solidez em seu conceito, sempre permanecendo no topo entre as melhores instituições do Brasil.

Um orgulho que não pode ser mensurado com palavras mais eloquentes que aqui pudessem ser ditas.

Ao longo desse tempo lembramos com carinho dos nossos mestres, que nunca se abstiveram de nos orientar e transmitir os conhecimentos de forma clara e objetiva, mas, especialmente, de nos instigar a sempre buscarmos mais. Foi com eles que aprendemos a valorizar a nossa profissão e a conduzir nossa vida profissional com ética e responsabilidade. Nosso muito obrigado a todos eles.

E como não agradecer às nossas famílias? Nosso suporte e porto seguro durante a maior parte da nossa vida, sempre nos ajudando a crescer e a enfrentar as dificuldades encontradas no caminho. Obrigado a cada um de vocês!

Disse eu, no discurso de formatura, que estaríamos entrando na era cibernética. Estaríamos, porque naquela época as informações e comunicações eram precárias e todos encontraríamos dificuldades em qualquer setor no exercício profissional e aqui permito-me citar o ocorrido comigo.

Quando iniciei os trabalhos profissionais no Oeste de Santa Catarina, dando assistência técnica presenciei plantéis serem dizimados por várias enfermidades infecto – contagiosas e parasitárias, possuírem baixíssimo potencial genético, além da nutrição e manejo inadequados. Poucos colegas existiam na região para compartilharmos ideias e conjecturar soluções. Não existiam computadores, celulares, muito menos internet.

Foi graças ao sólido aprendizado acadêmico que tivemos aqui, na Escola de Agronomia e Veterinária, que mais tarde passou a se chamar Setor de Ciências Agrárias nesta conceituada Universidade Federal do Paraná e, paulatinamente fomos agregando a teoria com a realidade prática, somada às pesquisas cientificas, fomos evoluindo e elevando a pecuária brasileira para outro patamar.

Sanidade animal sob controle; genética avançadíssima; nutrição adequada para cada categoria de animais; manejo associado ao bem-estar dos animais de alto nível; a assistência técnica fez os produtores também evoluírem, resultando a aplicação desse conjunto de normas em aumento diário de ganho de peso, redução da idade de abate, enorme melhoria na produtividade de carnes nobres, de leite, ovos e produtos correlatos. Assim, além de haver esses preciosos alimentos à mesa de todos os brasileiros tornamos o Brasil o maior exportador mundial de proteína de origem animal.

E, para encerrar, quero agradecer especialmente à Universidade Federal do Paraná, ao Setor de Ciências Agrárias, aos Gestores e organizadores desta magnífica homenagem do Jubileu de Ouro, para a nossa turma de 1967.

Também exaltar que nós estamos orgulhosos de termos sido formados aqui e pertencermos à laboriosa classe de Médicos Veterinários que em qualquer setor que cada um já atuou, sempre demos o melhor de si e a nossa contribuição para a evolução e o crescimento extraordinário da Pecuária nesta Terra Pátria chamada Brasil.

Obrigado… Muito obrigado a todos.

Romualdo Gurak

Curitiba, 08 de dezembro de 2017”.

Turma de 1967 com o reitor Ricardo Marcelo Fonseca e o diretor do setor de Ciências Agrárias, Amadeu Bona Filho.

Turma de 1967 com o reitor Ricardo Marcelo Fonseca e o diretor do setor de Ciências Agrárias, Amadeu Bona Filho.

Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Universidade Federal do Paraná
Setor de Ciências Agrárias
Rua dos Funcionários, 1540 - Juvevê
Fone: +55(41) 3350-5620/5800
Curitiba (PR), Brasil

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Setor de Ciências Agrárias
Rua dos Funcionários, 1540 - Juvevê
Fone: +55(41) 3350-5620/5800
Curitiba (PR), Brasil

Imagem logomarca da UFPR

©2018 - Universidade Federal do Paraná - Setor de Ciências Agrárias

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR