Menu

Ração para tamanduás em cativeiro é novidade em zootecnia

Os tamanduás, de forma geral, são animais que na natureza se alimentam de insetos (principalmente formigas e cupins) e, por isso, apresentam uma alimentação altamente especializada,  difícil de ser reproduzida em cativeiro. Atualmente, os tamanduás mantidos em instituições em todo Brasil são alimentados com dieta na forma de papa/purê. Essa papa agora pode ser substituída por uma ração comercial.

A ideia dessa ração nasceu em Curitiba. Segundo a professora Chayane da Rocha, do departamento de Zootecnia da UFPR,  em 2018 foi realizado um workshop sobre nutrição de animais silvestres organizado pela Universidade Federal do Paraná em parceria com a Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB). Em uma das falas, a palestrante lançou a ideia de no futuro acontecer o desenvolvimento de um alimento comercial completo para tamanduás, suprindo as necessidades nutricionais de forma padronizada. Nesse mesmo workshop, havia uma ouvinte representante da empresa de alimentação animal Quimtia Brasil, que “comprou” essa ideia.

Foram meses de trabalho na formulação pelo departamento técnico e de pesquisa da empresa, com consultoria de zootecnistas, para chegar em uma dieta personalizada, flexível e com o tamanho de pellet compatível para alimentação deles. “Então, nesse workshop na UFPR nasceu a ideia de uma empresa brasileira desenvolver esse alimento completo industrializado específico para tamanduás. E outro ponto crucial é que atendendo as necessidades nutricionais desses animais a chance de sucesso reprodutivo torna-se mais elevada, podendo contribuir com a perpetuação da espécie”, explica a professora Chayane. Batizada de Zoo Feed Tamanduá, esta é única ração comercial no Brasil para esses mamíferos sob cuidados humanos.

Atualmente, há pesquisas de mestrado na UFPR sobre a avaliação da aceitabilidade dessa ração pelos animais, qualidade das fezes e digestibilidade da dieta em animais que estão no Zoológico de Brasília. Esse seria o primeiro passo para uma avaliação científica de resultados iniciais sobre a utilização em cativeiro dessa ração especializada para tamanduás.

(Postado por Simone Meirelles/ em 30/11/2020)

Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Universidade Federal do Paraná
Setor de Ciências Agrárias
Rua dos Funcionários, 1540 - Juvevê
Fone: +55(41) 3350-5620/5800
Curitiba (PR), Brasil

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Setor de Ciências Agrárias
Rua dos Funcionários, 1540 - Juvevê
Fone: +55(41) 3350-5620/5800
Curitiba (PR), Brasil

Imagem logomarca da UFPR

©2021 - Universidade Federal do Paraná - Setor de Ciências Agrárias

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR