Cogumelos no controle alternativo de Meloidogyne incognita em tomateiro

Resumo

A intensificação da agricultura vem favorecendo o desenvolvimento dos fitopatógenos, causando perdas quantitativas e qualitativas na produção, sendo as doenças de solo as mais preocupantes, pelo difícil controle devido à dificuldade de eliminação do inóculo inicial sobrevivente no solo. Os nematoides fitoparasitas pertencem a esse grupo de patógenos de solo de difícil controle. Assim, o controle biológico de nematoides por fungos nematófagos vem ganhando destaque, devido ao baixo custo, viabilidade e menor impacto ao meio ambiente quando comparado aos agrotóxicos. Ao considerar a hipótese de utilização de macrofungos nematofagos no controle de nematoides, objetiva-se com este trabalho, avaliar as interações interespecíficas existentes entre as espécies de cogumelos comestíveis Pleurotus ostreatus, Pleurotus pulmonarius, Pleurotus citrinopileatus, Pleurotus djamor, Pleurotus eryngii, Ganoderma lucidum, Oudemansiella canarii, Coprinus comatus, Lactarius deliciosus, Flammulina velutipes e Auricularia auricula-judae sobre populações de nematoides das galhas (Meloidogyne incognita), parasitando plantas de tomateiro. Os experimentos serão compostos por testes in vitro com o objetivo de determinar as condições de crescimento micelial adequadas, observação de estruturas especializadas na predação de nematoide e produção de compostos com efeito nematicida e namatostáticos existentes no substrato orgânico exaurido do cultivo de cogumelos. Com a observação de efeitos antagônicos dos cogumelos sobre os nematoides, será possível utilizar o substrato exaurido como adubação orgânica com potencial de controlar a população de nematoides fitoparasitas

Coordenador 

Henrique da Silva Silveira Duarte

Colaboradores

Louise Larissa May de Mio

Marlon Henrique Hahn

Juliane Jesus Luz